Enxaqueca? A cura existe e só depende de você!

Nesse post, vou contar minha história com a Enxaqueca e mostrar como consegui curá-la naturalmente mudando meus habitos de vida e alimentação.

Pesquisas mostram que 20% da população mundial sofre de enxaqueca ” de forma crônica, o que significa 1 em cada 5 pessoas.

Conheço pessoas que tem crises fortíssimas pelo menos 2 vezes por mês, fazendo com que faltem seus trabalhos e apenas consigam ficar na cama em um quarto escuro.

É triste ouvir de muitos médicos que é algo genético que nos acompanhará para o resto da vida.

Para mim, tudo começou em 2008 quando tive uma crise terrível de enxaqueca.

Antes disso tive alguns sintomas mas nada muito forte. Mas dessa vez era forte e vinha com muitos sintomas que nem imaginava e eles me acompanharam por quase 3 anos com crises praticamente diárias.

De um dia para o outro, pessoas e amigos próximos começaram a achar que estava ficando hipocondríaco pois apenas pensava e falava dos sintomas horríveis que estava tendo.

Mas o que a maioria não entendia é que os sintomas eram reais e não psicológicos como diziam, fazendo apenas com que me sentisse pior e cada vez mais sozinho.

Lembro de ter ido a dezenas de médicos diferentes.

Uns bons outros péssimos, mas quase sempre com o mesmo discurso.

De que não havia uma cura propriamente dita.

Resolvi então ir num Neurologista aqui na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro) que me examinou e disse, sem pedir nenhum exame, que eu estava tendo um derrame.

Realmente os sintomas estavam muito fortes e muito estranhos, mas derrame?

Esse mesmo médico me recomendou imediatamente buscar um cardiologista pois o que tinha era muito grave.

Foi o que fiz!

Saí do consultório desesperado e tive de pedir férias no trabalho pois estava num estado realmente deplorável, tanto fisicamente quanto emocionalmente.

Fui até outra cidade onde conhecia médicos que confiava um pouco mais e me consultei com um cardiologista que me disse que estava tendo uma crise muito forte de enxaqueca, principalmente por causa de estresse.

Que eu descansasse que isso iria diminuir, mas a que enxaqueca não teria uma cura.

Ia ter de conviver com as crises e tomar medicamentos!

Bottles of medications

OS SINTOMAS

Os sintomas eram terríveis, principalmente os da visão. Tinha a vista embaçada e tudo se movia para onde eu olhava.

Tive tudo que alguém com uma enxaqueca crônica e forte tem:

  • Aura,
  • Tonturas
  • Enjoos
  • Baixa de Energia
  • Tremores
  • Dores de Cabeça
  • Fotofobia
  • Sensibilidade a Sons
  • Irritabilidade e alterações de Humor
  • Problemas Digestivos
  • Distúrbios de Memória e Concentração
  • Crises de Pânico
  • Diarreias
  • Insônias
  • E a lista continua com muitos outros sintomas.

E isso era um dos piores sintomas para mim pois como trabalho com computação gráfica, ficava mesmo impossibilitado de fazer meu trabalho bem.

De uma vida agitada, social e feliz passei a uma vida terrível, angustiante e reclusa durante muito tempo.

Não conseguia me concentrar e fui me transformando em alguém que não era: triste e extremamente apático, apagado, irritado, infeliz!

E como morava sozinho e estava cada vez mais afastado dos meus amigos e da minha família, me sentia cada vez pior.

Lembro de dias em que acordava tão mal e com tantos sintomas que não sabia como ia fazer para ir trabalhar pois só tinha energia para ficar deitado.

Muitos dias eu apagava sem conseguir preparar nada pra comer e só acordava no dia seguinte.

Encontrei outros médicos que me explicaram melhor o que tinha, que era enxaqueca crônica mesmo e que o stress era o grande fator (nessa época, chegava a trabalhar 15 horas ou mais por dia) e que deveria diminuir o ritmo para aliviar os sintomas.

Mas por outro lado, sempre diziam que “Enxaqueca é algo genético e não tem cura, precisamos aliviar seus sintomas com alguns medicamentos!”

Mas genético? Seria mesmo?

shutterstock_1045050697

Não podia aceitar que viveria minha vida inteira daquela forma, apenas aliviando sintomas com drogas.

Não podia era aceitar que de um dia para o outro tinha adoecido de uma forma tão grave e que isso fosse algo realmente incurável.

Lendo tudo acima, parece até um sofrimento injusto, mas o que posso dizer é:

Mereci e precisei de cada dia que passei sofrendo pois eu estava nesse momento colhendo tudo que plantei ao longo de muitos anos fazendo tudo errado!

através dessa dor que passava é que começava a entender melhor o que vale a pena na vida, os cuidados que devemos ao nosso corpo e nossa saúde.

Desde que me mudei para o Rio de Janeiro e fui morar sozinho, comecei a sair para festas toda semana, trabalhar demais, dormir o mínimo possível, comer extremamente mal (praticamente um almoço razoável e o resto só porcarias e industrializados).

Além disso nas festas acabava bebendo mais do que devia, fumava de vez em quando e vivia estressado.

E então descobri: Taí minha “doença genética”!

BUSCANDO AJUDA

Gastei bastante dinheiro com médicos e nutricionistas e nesse periodo não consegui que pelo menos me orientassem corretamente sobre o que podia mudar para melhorar meu quadro.

Em um curso de 5 anos de medicina os alunos estudam poucas horas sobre alimentação e boa parte sai completamente despreparada para orientar alguém sobre uma dieta saudável.

E mesmo nos cursos de nutrição muitos dos conceitos pareciam mais convenções e fórmulas com recomendações dietéticas que não eram saudáveis.

Fui em nutricionistas que me recomendavam barra de cereais, leite de soja e outros industrializados péssimos pra nossa saúde.

O tempo foi passando sem que eu melhorasse e isso acabou me forçando a mudar meus hábitos pois não aguentava mais me sentir doente.

Pouco a pouco fui vendo que meu sono era fundamental, assim como uma alimentação mais equilibrada (apesar de nessa época não saber nada sobre o assunto).

Entendi então, que nenhum dinheiro vale mais do que ter saúde.

Eu não tinha mais ambições nem meus sonhos.

Não queria sair, viajar, jantar fora, assistir um filme, ir a praia.

Nada disso importava naquela época!

Eu só queria ficar bem e parar de me sentir mal todo o tempo.

E por isso deixei de trabalhar excessivamente e resolvi me cuidar.

Mas mesmo mudando isso tudo, não conseguia melhorar e minha saúde continuava muito debilitada.

Nessa época, achava que já estava me esforçando muito e fiquei bastante desanimado.

Comecei a acreditar que os médicos tinham razão.

Doctor checking medical records

Eu estava com algo sério e não teria como voltar a ter minha vida normal.

Apenas conseguiria um controle ou alívio dos sintomas.

Passaram muitos meses e eu cada vez ia mudando algo na minha alimentação, meus horários e hábitos. E nada de melhorar de verdade.

Por muitos motivos que em outros posts explico melhor, resolvi que eu ia descobrir como me curar.

Então comecei minhas pesquisas e estudos sobre saúde.

Nessa época já havia descoberto 2 médicos que eram especializados e muito consagrados por seus trabalhos no assunto.

Um era do Rio, o que me permitia tentar uma consulta, e o outro de São Paulo.

Infelizmente a abordagem do médico do Rio era alopatia, cheias de medicamentos, tudo que eu tinha certeza de que não queria.

Por outro lado o de São Paulo tinha uma abordagem totalmente diferente, focado na mudança dos hábitos de vida e eu adorei ter esperança de novo.

Achei sensacional sua abordagem e na mesma hora comprei e devorei seu livro.

O livro se chama “Enxaqueca – Só Tem Quem Quer” do Dr. Alexandre Feldman.

O livro é SENSACIONAL, se você tem enxaqueca, não deixe de ler.

Agora já tem em versão digital na Amazon.

 

Mas nesse momento, tive um contra tempo.

Um pouco antes de ler seu livro, comecei a estudar sobre nutrição vegetariana e enxergar uma possibilidade de cura. Resolvi tentar! 

Inicialmente me senti muito melhor.

Estava desintoxicando de certa forma.

Diminui muito as gorduras, cortei proteínas animais e comecei praticamente a me alimentar de poucos ovos, vegetais, grãos, frutas, iogurtes, nozes, além de diminuir a quantidade de comida, cortar alguns alimentos que me faziam mal.

Nessa época meu corpo estava tão intoxicado que essa dieta parecia estar me ajudando demais e senti que era o caminho que devia seguir.

Além disso, por questões filosóficas, uma alimentação que não usasse da morte de animais era totalmente alinhada com o que acreditava.

Tudo me caiu muito bem e se encaixava perfeitamente!

A saúde melhorando um pouco, uma nova forma de viver baseada em questões filosóficas que acredito, perdi bastante peso, tudo parecia perfeito, mas ia bastante contra ao que li no livro do Dr. Alexandre Feldman e nas pesquisas que fazia sobre os benefícios de uma alimentação com alimentos de verdade, incluindo os produtos de origem animal.

Vale falar que nessa época ainda consumia alguns industrializados, e basicamente carboidratos, o que é péssimo e comum a muitos vegetarianos.

Quase um ano depois, começava a me sentir cada vez mais fraco.

Minha digestão piorava a cada dia e perdia muita massa muscular.

Além disso os sintomas não haviam sumido completamente e muitos pareciam estar piorando cada vez mais e sem perceber fui caminhando cada vez mais para o fundo do poço.

Por isso, depois de ler muitos livros, artigos e ter contato com pessoas que confiava sempre me recomendando comer alguns alimentos de origem animal, comecei a ver a necessidade da proteína e principalmente das gorduras, vitaminas e minerais desses produtos e pouco a pouco fui voltando a consumi-los.

Comecei a ver que uma alimentação mais natural e equilibrada não tolerava produtos industrializados e tinha produtos animais incluídos na dieta.

Nesse momento cortei os industrializados e diminuí os carboidratos.

shutterstock_211457176

Voltei para um caminho parecido com o que o livro do Dr. Alexandre Feldman falava.

Comecei então a pesquisar sobre povos que normalmente eram livres de doenças.

Entrei numa fase de comprar muitos livros de pesquisadores, médicos, nutricionistas.

Li e reli vários livros que já tinha, entre eles o sobre enxaqueca e tudo agora fazia mais sentido.

Comecei a ver os absurdos que nos são ditos por médicos e por uma mídia que não busca a verdade, mas sim informações superficiais.

Depois que mudei para esse novo estilo de vida, onde passei a me alimentar com comida de verdade e reduzi os carboidratos, principalmente os refinados, comecei a ver minha saúde voltar.

Agora mais do que nunca começava a sentir meu corpo com mais energia, cada vez menos sintomas e depois de alguns meses não podia acreditar no que acontecia comigo.

Os sintomas da enxaqueca estavam pouco a pouco desaparecendo.

Sem dores, nenhuma aura, nada de fotofobia ou alucinação visual.

E desde então já não tenho nenhum problema com a enxaqueca.

O processo é lento, requer disciplina e paciência, mas é totalmente possível na maioria dos casos de enxaqueca.

Sei que ainda tenho muito caminho pela frente e muitas outras coisas para curar, mas o principal que era minha qualidade de vida foi pouco a pouco voltando.

Aqui são alguns sintomas que desapareceram depois das mudanças que fiz em minha vida:

  • Enxaqueca com Aura
  • Dor de Cabeça
  • Taquicardia
  • Alucinações visuais que tanto me atrapalhavam no meu trabalho
  • Fotofobia
  • Insônia
  • Sensibilidade a barulhos
  • Acordar no meio da noite agitado
  • Pressão Alta
  • Irritabilidade
  • Dificuldade de Concentração
  • Tremores
  • Sensação de dormência na cabeça
  • Dor na nuca e pescoço
  • Mente hiperativa e falta de concentração
  • Ansiedade e agitação

E muitos e muitos outros sintomas de outros problemas que tinha e falarei mais para frente no blog.

Nesse tempo em que comecei de verdade as mudanças de hábito, não tomei nenhum remédio.

Nem mesmo nos dias de dor eu os tomava pois começava a entender que além desses sinais serem importantes, muitos remédios intervém negativamente no processo de cura.

Como?

Por exemplo: Nosso corpo cria inflamação em tecidos com o intuito de renovar células para depois reconstruir uma área que precisa ser renovada.

No momento que tomamos um anti-inflamatório, paramos esses processos.

Destruímos um ciclo de cura que é fundamental ao nosso organismo.

Lembre-se: não adoecemos por falta de remédios e não é dando uma química estranha ao corpo que nos curaremos.

Claro que muitos casos exigem a alopatia e remédios, mas em geral no adoecimento crônico que é a maior parte dos casos, os remédios tendem a piorar os quadros e nos levar para outros problemas. Por isso, o melhor a fazer é entender o organismo e seus processos de cura.

É preciso auxiliá-lo nesse processo, dando os nutrientes que ele precisa e retirando as toxidades. Precisamos nos exercitar, dormir bem, dormir cedo, reduzir o estresse.

shutterstock_1034350495

Nosso corpo é muito sábio e o mais importante:

É sempre o próprio corpo que se cura, com suas dinamicas e mecanismo de reequilibrio ele está PERMANENTEMENTE buscando a cura e o equilíbrio.

Sintomas precisam ser vistos e entendidos, não suprimidos!

Além disso, no passado já tinha tomado tantos remédios que só pioraram mais ainda meu quadro que já não confiava mais em praticamente nenhum.

Outro ponto que preciso dizer é que hoje, quando olho pra trás, com muito mais bagagem e conhecimento do que naquela época, entendo que a enxaqueca não é uma doença.

Ela já é a conseqüência de algo maior e PRECISA ser tratada!!

Afinal, não fomos criados para nos sentirmos mal e ela é um grande aviso de que muita coisa no seu corpo precisa ser revista.

Conviver com enxaqueca crônica, além de ser algo terrível, é procurar problemas sérios de saúde no futuro.

Mesmo que nenhum médico lhe informe isso, posso dizer que ela está associada a diversos problemas que aparecem lá pra frente.

A enxaqueca em si(dor e sintomas) não é o problema , mas ela tenta nos mostrar problemas muito mais complicados e sérios no nosso organismo.

Por exemplo, a enxaqueca na maioria dos casos está diretamente ligada ao nosso intestino e fígado, e estes a um equilíbrio geral do nosso corpo.

Por isso tudo, minha recomendação é: Cuide-se!

Pare de tomar remédios para desaparecer com os sintomas e busque o que está realmente causando a doença.

Mude sua alimentação amanhã mesmo, comece a se exercitar com moderação, durma mais cedo e mais tempo. Retire as toxidades do organismo.

Aprenda a ouvir seu corpo! Ele nos dá todos os indícios de que algo vai errado muito antes de termos algo grave ou crônico.

E pare de ouvir propagandas que mostram famílias felizes por tomarem constantemente remédios.

Lembre-se de que seu corpo não o faz sentir miserável à toa. É um importante aviso que vivemos escondendo debaixo do tapete!

A cura na minha opinião existe, é real, mas não é nada facil! Requer esforço, disciplina e vontade.

Mas acima de tudo, requer conhecimento para agir da forma certa.

Lembre-se de que toda subida requer esforço! E “Cura” significa crescer em nossas vidas, evoluir. Evoluir nossos hábitos, evoluir nossos pensamentos.

E para isso exige de nós muita vontade, inteligência, força e fé. Mas vale cada gota de suor e cada mudança em nossas vidas. Não consigo expressar aqui a sensação que tenho quando olho pra trás e vejo que todos os sintomas da enxaqueca que senti durante anos agora acabaram.

Apesar de ainda faltar bastante estrada pra outras coisas que estavam erradas em meu organismo, olhar para trás e ver o que conquistei é sensacional.

Espero que esse post sirva de informação e motivação para muita gente que sofre com esse problema e acha que é algo incurável e impossível.

A sua cura, sem a menor sombra de dúvidas, está em suas mãos!!

Se você mora em São Paulo, eu recomendo buscar o Dr. Alexandre Feldman.

Para os outros, leia seu livro. Há uma versão digital e outra física. Na época eu li a física mas hoje é tão mais fácil e rápido baixar a versão digital que eu acho que vale mais a pena.

Link para o livro “Enxaqueca – Só Tem Quem Quer” do Dr. Alexandre Feldman.

 

Um abraço e siga em frente!

Rodrigo

 

Não deixe de conhecer e leia tudo:

http://www.enxaqueca.com.br/index.html

http://www.enxaqueca.com.br/blog/

Livro Digital – Enxaqueca – Só Tem Quem Quer

Atualizado

Anúncios

143 comentários sobre “Enxaqueca? A cura existe e só depende de você!

  1. Olá Rodrigo, tudo bem?
    Poxa, lendo o seu Blog, dá um Up na vida de qualquer pessoa que sofre desse mal. Eu sofro muito com enxaqueca, tenho quase todos os dias, tenho os mesmos sintomas que você tinha, visão embaçada, ânsia de vomitos, mal estar, estresse, etc… Já passei em nutricionista afim de mudar hábitos alimentares, pra ver se consigo UMA VIDA FELIZ SEM AS PIORES CRISES! =( infelizmente não tive muito sucesso não. Vou dar uma olhada nos sites que você indicou pra ver se consigo uma melhora, eu preciso, muito! Enxaqueca é capaz de acabar com qualquer empolgação na vida de quem sofre desse mal.

    Muito obrigada.

    1. Oi Taiza, tudo bem?
      Faça isso. Procure o material do Dr. Alexandre Feldman que é um grande conhecedor do assunto e poderá lhe ajudar muito também.
      Mas antes de mais nada, mude seus hábitos. Hoje! 🙂 E em breve ficará melhor e melhor até que os sintomas sumam e você tenha seu bem-estar de volta.
      Abraços

  2. Olá Rodrigo, parabéns pelo blog e pelo amor ao próximo que tens.
    Há mais ou menos dois anos, no período da minha regra mensal sinto dores de cabeça, pontadas do lado esquerdo da cabeça, tonturas e o lado esquerdo do meu corpo adormece, inclusive língua, braço até a garganta. Acredito que seja enxaqueca aura, pois além do adormecimento minha visão fica turva. Já me queixei com alguns médicos (neurologista, endocrinologista, cardiologista) e eles nem sequer conhecem enxaqueca aura. Quero me tratar, pois sinto que está cada vez pior e esse adormecimento do lado esquerdo do meu corpo já está se prolongando pelo mês todo e isso tem me assustado muito. Gostaria de saber sua opinião referente a mudança de hábitos alimentares ou se você acredita que minha enxaqueca seja hormonal.
    Mais uma vez parabéns pela sua dedicação!
    Obs. Sua opinião será muito importante pra mim, pois estou sem referência alguma.
    Deus te abençoe!!!

    1. Oi Renata, tudo bem?
      Então, acredito que a mudança hormonal ou o período da menstruação possa afetar bastante o organismo. Mas não é essa a causa do seu problema.
      O corpo pode dar uma mexida pra lá e pra cá quando estamos em situações de estresse, mudança (em todos os níveis) mas o organismo saudável se adapta em seguida.
      Acho que deve mudar seus hábitos, comer apenas alimentos de verdade e retirar industrializados. Faça isso e aos poucos verá que seu corpo responderá bem melhor a qualquer mudança.
      Não nascemos para sentir dores apesar delas fazerem parte da nossa vida. O problema é quando algo se torna crônico. Isso temos que buscar entender o porquê e mudar. 🙂
      Espero ter ajudado.
      Um abraço

    2. Oi, desculpa eu me meter, mas tive por muitos anos enxaqueca e descobri a cura na minha terceira gravidez quando veio uma luz e me disse: “vc não tem enxaqueca quando não menstrua”. Fui ao médico e ele me receitou anticoncepcional contínuo. Foi a melhor coisa que eu já fiz na minha vida, que se tornou vivível desde então. Tomei o ciclo 21 por sete anos e não tinha enxaqueca. Hj não tomo mais, pois estou em fase de menopausa e precisava dar um tempo do hormônio. Obs.: o ciclo 21 não engorda

  3. Meu problema era Enxaqueca com Aurea,assim que parei de tomar leite ou derivados do mesmo a mais de 1 ano e meio .nunca mais tive crise não sei se vai da certo com você que sofre com o mesmo.mais não custa tentar 😉

  4. Simplesmente fantástico o texto. Vou tentar organizar minha alimentação, pois não aguento mais as crises de enxaqueca. É de chorar de dor. Estava achando que até poderia ser uma encefalite ou meningite ou começo de AVC. Acredito agora que a alimentação ruim esteja por trás desses sintomas.

  5. Olá Rodrigo!Estava lendo seu depoimento…tenho o livro que vc indica,inclusive já o reli,inclusive..me identifiquei muito com sua história,estou com enxaqueca crônica há anos,não sei mais o que é ficar livre de dor de cabeça e de todos os sintomas de enxaqueca…há quase um ano,me rendi e voltei ao neuro e faço tratamento preventivo com drogas que já utilizei no passado,pelo menos não vou todo mês ao hospital…o meu problema são o abuso dos analgésicos,não consigo parar de tomar…como tenho dor todo dia,tomo todo dia 02,03 comprimidos para aliviar…já faz tempo que apenas sobrevivo,já tentei inclusive o uso de botox ,fiz 02 aplicações mas também não deu certo…sobre a dieta do livro,já tentei fazer,larguei,faço por partes,pois faz muito sentido as explicações do livro…na minha região ,Sul,não temos especialistas no assunto,o atendimento nessa área é bem precário…aguardo por uma luz ,pois minha fé esta abalada….

    1. Oi Juliana, tudo bem?
      Imagino que esteja numa situação bem difícil e manter a fé nem sempre é fácil.
      Mas o que posso te recomendar é fazer a dieta corretamente. Nosso corpo adoece pois não tem o que precisa para trabalhar (nutrientes) e/ou tem excesso de toxidade para funcionar corretamente.
      Levamos muitos anos para deixar o corpo num processo de dor e sintomas crônicos e por isso leva tempo para melhorarmos.
      Não acredito que os medicamentos sejam o caminho apesar de em alguns momentos serem necessários para aliviarem nossos sintomas.
      Acho que deve mudar seus habitos, se alimentar bem, fazer exercícios e depois de um tempo seu corpo entrará no eixo de novo.
      Não tenha pressa. O processo é lento, as vezes muito lento. Mas é o único caminho pra voltar a ter bem-estar.
      Não desanime, e use meu exemplo para lhe motivar. Hoje em dia nem sequer lembro que já tive enxaqueca diária durante muito tempo, com aura, enjoos e todos os outros sintomas completamente debilitantes que ela traz.
      Seja disciplinada e corra atrás do que realmente vai te fazer bem.
      Ah e durma muito bem sempre. Isso é fundamental.
      Abraços,

  6. Bom dia,nos utimos 6 meses tenho sofrido muito com todos esses sintomas ditos além de muitos queimores na cabeça e ardencia na face nao tive ainda um diagnostico pois estou em fase de exames mas me senti muito bem ao ler esse artigo pois me dá muita esperança já que tudo que ouvi a respeito foi negativo,desde de já te agradeço muito.

  7. Obrigada pelo post, bem quando chegamos aqui normalmente estamos desesperados… eu sofro com crises desde o 7 anos de idade, busco tratamento desde a adolescência, no meu caso às crises eram esporádicas e quando eu chegava a vomitar era como tirar a dor com a mão… Agora porém, não mais, as crises são diárias e se caso eu deixe evoluir só paro de vomitar quando recebo medição na veia… Com tantos anos sofrendo com essa infermidade entendo que ela é muito ligada ao fator emocional, com os traumas em nossa infância e a altorrejeição… É como se nosso corpo guerreasse contra ele mesmo, acredito que até as nossas escolhas alimentares estão ligadas a nossas emoções… Trabalhar descontroladamente, comer descontroladamente, não dormir, absolutamente tudo tem haver com o querer ser aceito e amado… Abuso físico, abuso emocional, abandono e rejeição durante a formação de nosso caráter pode deforma-lo… Ñ sou especialista, só achei algumas respostas com essas experiências de vida… Acho que enclinando meu coração pra Deus e me aceitando como como “eu” sou vou encontrar a cura total pra essa doença… No mais vou seguir os seus sábios conselhos. Obrigada, Rodrigo!

  8. Olá Rodrigo. Sofro com esse mal desde pequena, mas agora estou numa crise de enxaqueca com aura que está me enlouquecendo. Como saber se as alterações visuais estão sumindo? Elas se tornam pontinhos que descem até desaparecer? Obrigada desde já.

  9. Nossa super me identifiquei Rodrigo! Eu sofro com enxaqueca desde os 7 anos de idade, hoje estou com 22 e ainda sofro, cada vez foi piorando, fiz vario tratamentos e nada, tenho todos os dias. Já estou viciada em remédio, pois tenho que tomar todo dia e quando não adianta só morfina na veia. Não sei mais o que faço, não tenho mais vida social, trabalhar entao é um sacrificio. Adorei seu texto, me deu uma esperança 😀

  10. Muito, muito, muito obrigada pelo seu depoimento. Me deu um norte!
    Sofro de enxaqueca desde que nascí e nos últimos 3 anos minhas crises reduziram drasticamente. Ao contrário da sua experiencia, sou vegetariano em transição ao veganismo, mas não só isso.. como vce mesmo citou uma alimentação natural rica em nutrientes faz todo a difrença [independente da dieta] =)
    Agora eu to em buscas de mais respostas, pois não consigo fazer jejum. Ah tempos não tenho crises e quando as tenho é porque deixei de me alimentar.
    Sou adepta de vários detox, mas sempre me caem mal e por isso gostaria de entender como foi que o meu corpo associou a fome a enxaqueca. Você lembra de ter lido algo a respeito? 🙂 Muito grata, desde já. ❤

  11. Parabéns pela iniciativa. Li o seu post e adorei ,saiba que eu tbm sofre desse mal,e ideia é essa mesma alimentação mais natural possível ,e uma vida regrada por mais saúde e menos dor. Abraço .

  12. Oi, Rodrigo! Terminei hoje a dieta restritiva do livro (3 meses) e vou voltar a inserir alguns ingredientes na minha dieta. Você comia queijo durante a dieta, ainda come? Outra coisa, estou um pouco desanimada ainda porque minhas dores de cabeça não passaram totalmente. Está certo que a duração e a intensidade até melhoraram, mas a frequência ainda continua. Passei numa nutricionista e ela me cortou o queijo e o iogurte natural integral, disse que o leite e derivados, além da lactose (que a gente sabe que não tem pelo livro), tem a caseína, que é um componente alergênico. Também me recomendou não comer mais nada com farinha de trigo, nem integral, e substituir com outros tipos de farinho, como a de arroz, a fécula de batata, farelo de aveia e tal, na composição de pães e bolos. Você chegou a voltar a comer massa com farinha de trigo? Se puder, me manda um e-mail contando mais da sua dieta. Obrigada!

  13. Rodrigo,

    Li seu post hoje. Era tudo que eu precisava saber, vou tentar mudar os hábitos pois já não aguento mais ter crises diárias e ter que não participar dos espaços que gosto pois sempre tô mal.
    Muito obrigada!

  14. Olá, fiz um comentário alguns anos a trás, na época tinha 16, hoje ja tenho 18 na época sofria do mal da enxaqueca. Desde 2014 não tenho enxaqueca, não sei o que acontece pois eu tinha muita dor quando era mais nova e derrepente sumiu e voltou com tudo em 2014.
    Até hoje 2017 não tive mais nenhum crise, última foi em 2014, agradeço a Deus pois isso é horrível, acaba com nosso dia nós deixando impossibilitado de tomar as rotinas da vida. Percebo que quando tomo bastante coca, café, vinho,chocolate as vezes começa dar algumas pontadas mas depois passa.

  15. Olá Rodrigo!
    Seu relato sobre enxaqueca seria exatamente o meu se conseguisse me expressar com essa fácilidade, com a diferença que você conseguiu sair dessa e eu me encontro na mesma, só piorando a cada dia, acabei de sair de um consultório médico…Mais uma frustração! Já ocorreu até de um cardiologista me indicar um psiquiatra que chegou a me diagnosticar com síndrome do pânico ansiedade e depressão, me passou uns remédios fortíssimos com efeitos colaterais apavorantes que pioraram o meu estado de saúde, parei de tomar imediatamente, e nunca mais voltei lá, e isso é só uma pequena amostra do que já passei desde uma bela tarde do ano 2000 quando me surgiu uma dor de cabeça até hoje. incrivelmente, tudo, exatamente tudo que você relata é o que sinto.Numa atitude até meio desesperada, assim como você resolvi pesquisar na internet e te encontrei como uma luz, me ajuda por favor, já estou em um estágio onde ninguém mais dá crédito ao que falo, até as pessoas mais próximas acham que realmente é problema psicológico e que devo voltar no psiquiatra e reiniciar o tratamento para síndrome do pânico e depressão. Me ajuda por favor, não sei mais o que fazer!

  16. Rodrigo, sensacional! Eu to buscando entender… vou ser breve…
    Meu diagnostico a 4 anos é enxaqueca com aurea visual e sensitiva!
    Tomo topiramato 100m, 50 manhã, 50 noite!
    Não tive mais crises, porem ano passado foi um ano super estressante e não tive nada, esse ano está totalmente calmo, e sinto muitos sintomas, menos a dor em si, pressão na cabeça, tontura, coração acelera… vários e aparecem assim do nada!!!
    Como de tudo, tenho um vida emocional agitada (sou normal hehe) Vou estudar muito sobre o que disse!
    Agradecido!

  17. Oi boa tarde eu sofro de mais com a enxaqueca des dos meus 13 anos a minha tbm e com aura e que tipo de alimentaçao e boa para melhoras e qual o maior tempo vc ja ficou sem da a crise depois que aprendeu tudo isso

  18. Boa Noite,eu sofro com enxaqueca com aura todos os dias exatamente como você sentia,eu tinha crises com muita frequência,mas quando dormi menos que 10 ou 9 horas por dia e evitei comer muitas coisas industrializadas as crises diminuirão e a aura continua só que sinto menos,estou fazendo acupuntura e tratamento com o neurologista.mas estou em busca da cura,estou lendo o livro ”Enxaqueca só tem quem quer”,com esse estilo de vida dos livros chegarei a onde pretendo chegar? Teria algum contato para conversar diretamente com você? Muito obrigada.

  19. Olá Rodrigo, foi muito bom encontrar seu blog. Veja bem, tb pesquiso sobre este assunto, pois tenho enxaqueca com aura desde q me entendo por gente, porém na minha infância acontecia muito eventualmente, agora há alguns anos, isto tem se manifestado com maior frequência e mais alguns sintomas, como os que vc citou. Minha mãe tem, minha filha tb tem. Muito bem, tenho observado q minha enxaqueca tem alguns gatilhos, por exemplo, quando fico muito tempo sem me alimentar, qdo estou no período pré menstrual e menstrual, qdo comecei a tomar um novo anti depressivo, pois tenho síndrome do pânico, qdo tenho alguma desordem gastro-intestinal. Geralmente ela vem junto com estes sintomas ou com algum desses. Seu blog me fez acordar para ver esta situação de voltar-me mais para o natural, atividades físicas, etc. Vou tentar ler o livro do médico q vc citou.
    Um abraço e obrigada por estar se propondo a ajudar tantas pessoas com esta doença tão difícil de entender e de curar. Principalmente no caso de aura.
    Att.
    Sandra.

Participe! Dê sua opinião! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s