Perca Peso Cuidando do seu Metabolismo!

Em geral as pessoas têm muita dificuldade de perder peso. A cada dia vemos surgir dietas diferentes para se perder as indesejadas gordurinhas e as formulas na maioria das vezes são absurdas. Ouço muito falar de exercícios físicos e o quanto eles são fundamentais, junto com uma dieta bem baixa em calorias para se perder peso. Realmente o oposto do que costumo estudar sobre o assunto.

Por isso, resolvi entrar em um campo polêmico, como muitos assuntos aqui no blog, e tentar passar um pouco do que entendo do assunto. Tentarei passar minha opinião sobre o que estamos fazendo de errado com nosso metabolismo e o que podemos fazer para transformarmos nosso corpo novamente em bons queimadores de gordura.

Vamos ver que emagrecer, ao mesmo tempo em que não é tão simples quanto “calorias que entram x calorias que saem”, é mais lógico e fácil do que imaginamos e está longe de ser o que se ouve nas academias e no nosso dia-a-dia.

Para começarmos a perder peso com saúde, mantermos gordurinhas indesejadas longe e pararmos de queimar nossos músculos (algo que fiz bastante, até entender todo o processo) precisamos entender um pouco mais sobre nosso metabolismo.

Antes de mais nada precisamos esquecer a ideia de que calorias são sempre iguais. Não é tão simples como quanto entra de calorias x quanto sai. O que importa é como metabolizamos essas calorias. Como criamos a partir dessas calorias, reserva de gorduras.

Por isso perder peso é um esforço tão grande para a maioria das pessoas. Algo que para muitos parece impossível e insustentável. E o pior: Para uma minoria que consegue, quando sai da dieta volta a engordar ainda mais do que antes e tem ainda mais dificuldade em manter o peso.

Então vamos lá! Por que isso acontece?

Quando fazemos as dietas de academias onde se come de menos e se exercita demais colocamos nosso corpo em um estado de defesa onde, cada vez mais, perderemos menos peso e depois de perder, mais difícil será mantê-lo.

São dietas quando feitas com frequência ou por tempo prolongado estão fadadas ao fracasso pois acostumam nossos corpos a se manter num nível metabólico mais baixo.

Criamos um estresse terrível para nosso corpo e fazemos com que ele pouco a pouco comece a deixar de ter um metabolismo normal. Ele deixa de reservar apenas uma parte do que consumimos e começa a reservar tudo que pode com “medo” de momentos de escassez. Criamos para ele um estado de defesa pois não estamos mandando quase nada de energia e ainda querendo queimar suas reservas. É algo anti-natural e cria uma resposta que é oposta ao que esperamos do nosso metabolismo. Ao invés de queimarmos as gorduras que precisamos, no fundo dizemos a ele que não vamos mandar muito mais combustível. E ele entende muito bem reservando tudo que recebe.

Nosso corpo não tem a capacidade de regular a quantidade de exercício que faremos. Isso depende de nossa vontade. Mas ele tem total controle sobre nosso metabolismo, e principalmente sobre como será feito nosso armazenamento ou queima de gorduras.

Para ficar mais claro coloque-se no lugar do seu corpo. Imagine que você precisa de energia para se manter vivo e cumprir suas obrigações, mas têm sempre um louco querendo queimar tudo que você precisa e ainda bloqueando a entrada de combustível no organismo. Você lê isso como uma ameaça!  E o que você faz para se manter vivo?

Reduz o metabolismo! Diminui sua capacidade de queimar essas reservas, batimentos cardíacos, temperatura corporal, energia total disponível, etc.

Ficamos mais lentos, cansados e letárgicos. Mas vale a pena isso tudo para perder a barriga, certo? Errado! Não estamos queimando quase nada.

O resultado é um esforço enorme, um emagrecimento pobre, anti-natural e insustentável. E assim que voltamos a entregar energia para esse cara faminto, ele guardará tudo em forma de reserva, ainda mais do que antes e se preparar para um outro momento de escassez.

Com isso, pouco a pouco vamos perdendo o ânimo e aceitando uma vida de gordurinhas indesejadas, baixo-estima, insegurança, etc. Mas que culpa temos, tentamos de tudo e não conseguimos. E é verdade. Muitos que tentam realmente emagrecer, fazem tudo “certinho” e não conseguem. E se frustam, aceitando um estado de sobrecarga para todo o organismo e perigoso a longo prazo. A obesidade é um fator de risco para quase todos os problemas e doenças degenerativas.

O que me entristece é saber que o que falta é informação. Não força de vontade ou disciplina, que muitos têm de sobra. No fundo falta fazerem corretamente o que é necessário para o corpo reagir. Ninguém foi feito para ser gordinho e principalmente para não estar bem consigo.

A boa notícia é: Podemos mudar isso! E de uma forma que revolucionará sua vida.

Requer esforço? Sem dúvida nenhuma. Mas o preço vale cada centavo.

Quando tinha 13 anos, perdi 25 kg, mas infelizmente não com a alimentação que sigo hoje, o que me pouparia muitos problemas que apareceram mais tarde. Mas ainda assim só emagreci através de um reajuste metabólico.

O que estou falando aqui é algo natural, sem remédios, sem sofrimento e o melhor: Sem passar fome!

Requer simplesmente que você pare e entenda: Carboidrato pode ser um grande problema!

Longe de mim querer dizer que não precisamos dele ou que ele é o monstro da história. No fundo ele é, quando utilizado em exagero, causador da maioria dos problemas que conhecemos, mas fomos nós é que o transformamos nesse monstro. E como?

Os carboidratos são os responsáveis pela liberação de insulina no sangue através do pâncreas. E é ela, que dentre algumas outras funções, diz para nossos tecidos adiposos armazenarem esses carboidratos em forma de gordura. A gordura que você vê no seu corpo só está lá pois esses carboidratos despertaram essa insulina que é quem faz com que a gente armazene essa energia em forma de gordura.

E o que acontece quando reduzimos o consumo de carboidratos? Reduzimos a liberação de insulina e consequentemente o armazenamento exagerado dos carboidratos em forma de reserva de gorduras diminui.

Por outro lado, mesmo consumindo grandes quantidades gorduras e proteínas suficientes para nos manter sem fome e com energia, como eles não fazem com que haja liberação de insulina na corrente sanguínea, não engordamos. Você poderá comer até se sentir saciado e ainda emagrecerá. Parece fácil demais, certo? E desde que consiga manter baixas as quantidades de carboidratos, será fácil ganhar saúde e perder peso.

Mas agora vem talvez o mais impressionante:

Não queimamos gorduras fazendo exercícios físicos.

– O que??? Mas isso vai contra tudo que já ouvi sobre o assunto!  E eu já perdi muito peso assim!!

– É verdade, vai contra muita coisa mesmo. Mas vamos ver que muito do que aprendemos não estava tão certo assim. E que essa ignorância só nos faz infelizes. É por causa dela que adoecemos e sofremos.

Mas a explicação é simples! A gordura é um combustível lento e econômico, enquanto a glicose (proveniente dos carboidratos) é um combustível ágil, de explosão. A gordura não tem a rapidez necessária para fornecer energia aos músculos e tecidos que num momento de atividade física demandam um combustível rápido.

Ela simplesmente não foi feita pra isso. A gordura se destina a ser um reservatório energético para possíveis momentos de escassez, para atividades lentas e para uma queima lenta.

E isso fica claro quando olhamos números: 1kg de gordura armazena em média 9000 kcal, enquanto 1 kg glicose armazena 4000 kcal. O intuito do primeiro é que seja uma reserva para longo prazo, enquando a glicose é para ser queimada em momentos de explosão e de demanda rápida de energia.

Queimamos gordura sentados tanto quanto correndo. É verdade que quanto mais fazemos exercícios, mais queimamos calorias, mas o que importa para a maioria é: Você sabe de onde vêm essas calorias?

Será que realmente vem da sua reserva de gordura? Provavelmente não! Ela vem do seu pão do café da manhã, do macarrão do jantar no dia anterior, vem do glicogênio armazenado em seu fígado e músculos e do próprio tecido dos seus músculos. Grande parte do tempo, nos matamos nas academias sem saber que não estamos queimando gorduras mais do que sentado vendo TV. E acabamos queimando os músculos que tanto gostamos de ver nos espelhos vida a fora.

Temos de entender que temos um freio metabólico que não permite que queimemos mais do que algumas poucas calorias de gordura por minuto. Justamente pois ela foi feita para armazenar energia para outros momentos.

Por esse motivo podemos dizer que mais de 80% do nosso emagrecimento vem de uma mudança em hábitos alimentares, e não de exercícios físicos.

Não estou dizendo que não faz bem termos uma atividade aeróbica em nosso dia-a-dia. Pelo contrário, é ótimo. Mas não com o exagero que vem sendo feito. E que quando juntamos com as dietas hipocalóricas,acabam não sendo nenhum pouco eficientes para um emagrecimento sustentável. Pelo contrário! Quando colocamos o corpo nessas dietas loucas de muito exercício e pouca caloria, fazemos com que ainda mais ele reserve gorduras e acabamos conseguindo o efeito contrário.

Com isso, pouco a pouco vamos desregulando nosso metabolismo, hormônios e o potencial de regular nosso peso. Caso de pessoas que comem pouquíssimo e não conseguem emagrecer são reais. Seus metabolismos estão em um estado de defesa tão grande que qualquer coisa que o corpo recebe, vira reserva.

Sei que é um assunto controverso e complicado, mas queria dizer a todos que se informem, procurem um bom nutricionista que entenda sobre nosso metabolismo, regule as taxas de insulina e emagreça com qualidade de vida, saúde e bem-estar!

Saiba que esse ajuste metabólico, principalmente dos níveis de insulina no organismo, lhe trarão muito mais do que perda de peso, mas principalmente uma enorme quantidade de vantagens para sua saúde a curto, médio e longo prazo.

Aos gordinhos que já sofreram com dietas, comece de novo, se dê mais uma chance. Agora sem mais loucuras, sem passar fome e sem transformar seu metabolismo num problema que a londo prazo vira uma bola de neve. Sabendo isso acima, as possibilidades de perda de peso estão em suas mãos.

O que posso garantir é que entender realmente e profundamente o que é uma educação alimentar, mudanças de hábitos e disciplina, farão de você uma pessoa mais livre, muito mais feliz e com muito mais auto-estima.

Que tal começar algo novo pra sua vida na próxima segunda-feira?

Anúncios

38 Respostas para “Perca Peso Cuidando do seu Metabolismo!

  1. Olá… entrou seu blog há pouco tempo e estou adorando os posts!! Trazem mtas informações interessantes e com isso algumas dúvidas.
    Quando você citou a base da dieta colocou frutas, vegetais, legumes etc todos como carboidratos ao lado de massas, pães… então eu pergunto qual a diferença entre consumir os primeiros em vez dos segundos? E gostaria de saber também em relação aos laticínios, porque são considerados carboidratos? Sempre ouvi falar deles, especialmente queijo, como fontes de gordura e por isso o consumo não podia ser exagerado. Aguardo sua resposta e parabéns pelo blog! 😀

    • Oi Geovana, tudo bem?

      Olha, minha opinião é que frutas, legumes e vegetais são sem dúvida mais nutritivos do que massas, pães e a maioria dos outros carboidratos que consumimos.

      O motivo pelo qual algumas batatas, inhame (amido em geral) estão junto de massas, pizzas ou outros alimentos menos nutritivos é que ambos, quando na corrente, impõe liberação de insulina. E como normalmente são consumidos em excesso, essa liberação é da mesma forma, exagerada, o que é terrível para nosso organismo e o motivo pelo qual criei esse blog.

      Amidos e outros tipos de carboidratos tem como função principal, nos fornecerem energia rápida que abastecerão alguns órgãos e músculos, para momentos de necessidade. Mas a maioria não é fonte rica em nutrientes quando comparados a legumes e frutas.

      Grande parte dos carboidratos que comemos são calorias vazias, e por de certa forma nos trazerem saciedade (mesmo que por pouco tempo) temos a sensação que obtemos, num prato de massa, tudo que precisamos para nosso corpo seguir saudável, o que não é verdade.

      Justamente por isso, a maioria de nós é “bem” alimentado e mal nutrido.
      Temos energia de sobra (apesar de não a utilizarmos de forma eficiente) e falta de nutrientes.

      Nosso corpo não nos pede nutrientes e vitaminas tanto quanto pede por energia.

      Por outro lado, há uma hierarquia onde alguns carboidratos são muito melhores que outros. Uns são quebrados mais lentamente, o que é melhor pra gente, outros possuem mais nutrientes, etc.

      Mas como nosso interesse aqui é um reequilíbrio metabólico, mesmo alguns carboidratos considerados mais saudáveis, num corpo desestruturado, são capazes de evitar uma melhora e cura dos muitos problemas de saúde que temos (sintomáticos ou não).

      E é por esse motivo que penso que qualquer alimento que gere liberação excessiva de insulina pode prejudicar uma reestruturação em nosso organismo.

      Depois de um tempo de dieta e cura dos problemas mais crônicos e profundos, é saudável e inteligente balancearmos alguns tipos de carboidratos na nossa alimentação. Mas com o intuito específico e de forma inteligente para mantermos nossas reservas de combustão rápida. E portanto, não em grandes quantidades, se quisermos manter nossa saúde.

      Quanto aos laticínios, dependendo do tipo, tem mais ou menos concentração de gorduras, proteínas e carboidratos. E por isso numa dieta com baixos carboidratos, podem ser usados em quantidades diferentes.

      Por exemplo, na dieta podemos consumir proporcionalmente mais manteiga do que leite e yogurtes, visto que a quantidade de carboidratos da manteiga é praticamente zero. O mesmo acontece com alguns tipos de queijo, tipo suíço, cheddar, onde a concentração de açúcar é bem pequena.

      Mas a questão do leite acho que vale um post a parte pois ao mesmo tempo que pode ser positiva, como grande parte da população tem problemas digestivos, aumento de colônias de bactérias, fungos e outros bichos mais, o consumo pode ser não tão interessante assim. Pelo menos até se curarem desses problemas que (nem sabem que) têm.

      Espero ter ajudado.
      Fique a vontade para dizer o que acha, Geovana!

      um grande abraço,
      Rodrigo

  2. Olá! Gostei muito do seu artigo. Ele me levou a devorar seu blog e te parabenizo pela profundidade e qualidade nas informações. Sou médica e tenho estudado nutrição e saúde (apesar de não ser esta minha especialidade). Por prazer mesmo. Estou investindo na vida vegetariana e a dieta low card é um pouco mais desafiante na eleboração do cardápio pelas restrições da proteína animal. Também achei muito pouco conteúdo aqui no Brasil. Acho também muito interessante os principíos da naturopatia (em relação ao equilíbrio ácido-básico) aliado a esta fisiologia de pouco carboidrato. Continua seu trabalho e te encorajo a estudar medicina! Ou nutricão! Você tem o dom!!! Deus te ilumine! Continuarei por aqui desfrutando de suas pesquisas e adaptando ao meu interesse no vegetarianismo. Namastê!

  3. Oi Aline, tudo bem?
    Obrigado pelos elogios. Fico muito feliz de saber que gostou, e mais ainda de ver médicos buscando estudos sobre nutrição para complementar seus trabalhos.

    Concordo com você quando diz que uma dieta de baixos carboidratos é mais complicada numa alimentação vegetariana.

    Apesar desse blog promover totalmente a alimentação de origem animal, fui vegetariano por um bom tempo e filosoficamente acredito muito na não-violência. Apenas abandonei essa filosofia pois acredito que antes disso, precisamos ter saúde, felicidade e bem-estar, e apesar de estudar e pesquisar bastante não consegui isso no vegetarianismo. Infelizmente vi minha saúde declinar bastante nesse período.
    Hoje eu realmente acredito, por tudo que estudo, que é extremamente difícil e complexo se alimentar sem produtos de origem animal, sem estar com isso, a médio e longo prazo se prejudicando bastante. Mas mais do que isso, acredito que temos de buscar o que é melhor para a gente.

    Por isso, espero de verdade que em breve consigamos ter uma alimentação equilibrada e saudável sem a necessidade da morte dos animais. Acho que somos inteligentes o suficiente para superar essa dependência da violência.
    Esse é um dos assuntos que pretendo estudar e pesquisar bastante no futuro.

    Quanto a Naturopatia, Aline, eu realmente li muito pouco mas sei superficialmente sobre o assunto. O livro do Weston A. Price fala um pouco sobre isso. Não sei se já leu. Chama-se “Nutrition and Physical Degeneration” e apesar de bem antigo é interessantíssimo.

    Quanto aos meus estudos, obrigado pelo incentivo, fiquei feliz de ler o que disse. E realmente pretendo estudar cada vez mais a fundo esses assuntos. Talvez comece com nutrição. Mas isso requer um tempo que ainda não tenho. Mas acho que cedo ou tarde acabarei trabalhando na área pois sou completamente movido pela ideia de que podemos ajudar uns aos outros através de embasamento científico, boa informação e dedicação.
    Obrigado pelo comentário,
    um grande abraço,
    Rodrigo

  4. Oi Rodrigo, tou adorando seu blog, parabéns ! esse post foi muito importante para mim! pois como imagina a gente q trabalha sentando o dia inteiro desenvolve aquela barriga de computador rs.. e já aconteceu comigo isso mesmo, perder peso por andar na academia feito doido, e depois quando parei de tão regularmente a academia engordei o dobro do que tinha perdido.
    Tenho uma pergunta Rodrigo,eu quando estava na academia já me tinham falado disso que vc falou, sobre o nosso corpo não queimar gordura enquanto treinamos, so começa realmente a queimar gorduras a partir de 1 hora de treino. So que mais de uma hora de treino, eu já não ia para casa de pé rs.. ai um amigo meu ,Estudante de Desporto, me falou de um suplemento chamado de L-carnitina que “enganava” o corpo e em vez de ele gastar as “calorias rapidas” o corpo gastava as gorduras lentas. vc sabe alguma coisa sobre essa L-carnitina, se é prejudicial a saude ou se nos prejudica futuramente a saude.. eu pesquisei na internet e ninguem fala realmente mal do suplemento, mas gostaria de saber se vc sabe algo sobre o assunto.

    Mas mais uma vez parabéns pelo blog, e vou seguir as suas dicas!
    Forte Abraço,
    Marcos

    • Oi Marcos, tudo bem?
      Obrigado!
      Que bom que está gostando! Fico feliz de saber! Quando vi acessos de Portugal, imaginei que um deles pudesse ser seu. :]

      Olha, eu li muito pouco sobre a Carnitina, mas sei que conseguimos encontrá-la em boas quantidades em carnes, principalmente de cordeiro.

      Coloco sempre suplementos no fim da fila e tento organizar a alimentação para obter o que preciso sem precisar suplementar desnecessariamente. Em muitos casos precisamos mesmo de uma ajuda sintética, mas não sou muito a favor do uso sem muito motivo não.

      Eu acredito que nosso corpo, quando recebe os nutrientes que precisa é super eficiente em absorver e criar os elementos que precisamos para ter saúde. E faz isso de forma equilibrada, sem sobrecarregar nenhum órgão.

      Os mecanismos de produção de energia a partir de gordura acontecem a nível celular e a Carnitina age na mitocôndria. Não sei se forçar isso com suplementos é uma boa. Acho que se é que existe algum problema nesse ponto, precisamos entender o por quê. Suplementar ou tomar remédios sem saber as causas de algum problema acaba mascarando sintomas importantes passamos a achar que está tudo bem.

      Quanto a queima de gorduras, o exercício ajuda nosso metabolismo, mas se estivermos com tudo certo em nosso metabolismo, com uma dieta legal, queimamos as gorduras indesejadas sem muito esforço. Fazemos isso sentados, vendo TV e até dormindo. Nos momentos de insulina baixa é quando queimamos essas gorduras.

      O problema é que com dietas de baixas calorias e exercícios pesados, prejudicamos nosso metabolismo. Provavelmente por isso você engordou depois que parou.
      O que acho que pode fazer é reajustar sua alimentação, diminuir os carboidratos, doces e depois de um tempo seu metabolismo volta ao normal e você volta a ser um bom queimador de gorduras.

      Diga-me se faz sentido.

      Um grande abraço,
      Rodrigo

  5. Parabéns pela ótima matéria, estou fazendo esta dieta, de não comer nada que contenha carboidratos, não é fácil, porém em 24 dias já emagreci 9 kg. Comecei desesperada, por já ser hipertensa com 24 anos. Muitas pessoas me assustaram, me dizendo que poderia ter aumento de colesterol, anemia entre outras doenças, mas depois que li sua matéria, estou mais aliviada.
    Olha realmente funciona, confesso que não pratico nenhum exercício e mesmo assim emagreço.
    Nos primeiros dias é normal sentir fome e tontura, hoje, já não sinto fome e sim vontade de comer ‘besteiras’, e o corpo já não apresenta mais nenhum sinal de fraqueza.
    Tenho vontade de não voltar a comer carboidratos mais, porém muitos dizem que por muito tempo pode causar riscos a saúde, se puder me dizer algo a respeito.

    Parabéns, obrigada pelo espaço.

    • Oi Mayara, tudo bem?
      Que bom que está seguindo um novo caminho para sua vida. Vivermos uma vida saudável, longe de medicamentos e hospitais é sem dúvida uma paz e liberdade que muitas vezes não valorizamos. Até adoecermos.

      Os carboidratos, apesar do que as pessoas falam, não é essencial a nossa vida. De fato, alguns órgãos e sistemas de nosso corpo necessitam de glicose para funcionarem e um exemplo de um desses órgãos é o cérebro.
      Mas antes que se assuste, nosso corpo é capaz de na ausência desses carboidratos, produzir glicose a partir de outros elementos como gorduras e proteínas. As dificuldades e reações no início da dieta são comuns e muitas delas acontecem por causa de um tempo de adaptação que nosso corpo precisa para começar a queimar gorduras (principalmente) como combustível.
      Muitos médicos, erroneamente, falam que é uma dieta perigosa e que a longo prazo nos trará problemas cardiovasculares, no figado, rins, etc. Mas pelo contrário, nosso sistema cardiovascular, imunológico, endócrino, excretor, e todo os outros, melhoram inacreditavelmente.

      Temos que entender que o grande problema da maioria das doenças hoje em dia começa nos industrializados e principalmente no excesso de carboidratos e açucares desses produtos.
      O que recomendo a você é procurar um bom médico, que pelo menos saiba um pouco sobre dietas de baixos carboidratos (o que não é nada fácil de achar) e que lhe ajude nessa mudança e acompanhe você nesse tratamento. Falo isso pois nessa dieta, nosso corpo reage muito rapidamente, principalmente por você ser jovem. E caso você esteja tomando remédios para hipertensão por exemplo, eles provavelmente se tornarão rapidamente muito fortes para você, podendo mesmo ser perigoso.

      Quanto ao colesterol, é verdade que dietas ricas em gorduras saturadas geralmente o aumentam. Mas eles não são fatores confiáveis para saber a saúde cardiovascular de uma pessoa.
      Uma pessoa com colesterol muito baixo, corre em geral, mais risco de morrer do que uma com colestrol muito alto.
      Estou lhe falando isso pois é comum as pessoas terem medo de colesterol, mas há gigantescos mitos por trás de toda essa fobia.
      Pra já, posso dizer o seguinte. Mais vale saber seu índice de HDL (dito por muitos, o bom colesterol) e Triglicerídeos. Principalmente esse último, diz muito sobre sua saúde cardiovascular, mas os médicos (até mesmo cardiologistas) o negligenciam até estarem em valores altíssimos e perigosos.
      Nessa dieta, fique tranquila que seu triglicerídeos, se estiver alto, caíra até níveis maravilhosos. E seu HDL provavelmente aumentará, o que é bom!
      Quanto ao LDL e Colesterol total, eu não me preocuparia tanto se você estiver numa dieta de baixos carboidratos.
      Vou começar a preparar um post só sobre colesterol para tentar passar o que estudei sobre isso e os absurdos que são ditos. Mas vai levar um tempinho pois o assunto é muito extenso e complexo.

      Na minha jornada pela saúde, Mayara, o que aprendi é que essas mudanças são para a vida toda, pois se depois de nos curarmos, voltarmos a ser como éramos, voltaremos a ter os mesmos problemas de antes.

      A dieta ideal é aquela que conseguimos levar pra sempre e por isso o mais importante é ir devagar, buscar compreender a importância e necessidade de cada mudança de atitude para pouco a pouco restabelecermos nossa saúde.
      Numa época da minha vida, por volta dos 22 anos, estava tão mal e tive uma crise muito forte de enxaqueca. Fui a um neurologista que me disse que estava tendo um derrame cerebral. Olha que absurdo! E por isso entendo seu desespero inicial.
      Mas o importante é que temos como encontrar o caminho para nossa cura.
      Sem dúvida nenhuma, essa dieta é maravilhosa para a maioria dos problemas de saúde que vivemos hoje em dia e você se beneficiará muito dela se a fizer com calma e cuidado. Minhas dicas pra você são:

      Tente arrumar um bom médico, com a cabeça aberta, que lhe passe confiança. Você têm que ter ao seu lado alguém que lhe ajude a melhorar e não alguém com a cabeça fechada e que não ouça sobre seu problema.
      O principal, reduza os carboidratos e pouco a pouco aumente as boas gorduras.
      Coma moderadamente proteínas, sem excesso.
      Coma comida de verdade! Com bastante vegetais! Nessa dieta, seu paladar pouco a pouco se tornará mais sensível e você passará a apreciá-los.
      Não coma mais industrializados. Biscoitos, Refrigerantes, Fast-Food, etc. São venenos que lhe farão adoecer.
      Coma em casa sempre que puder, pois assim saberá o que está no seu prato.
      Aprenda a cozinhar e prepare seu próprio remédio, fornecendo ao seu corpo tudo que ele precisa para se curar.
      Vá com calma e relaxe pois o caminho de cura é um longo aprendizado e quanto mais andamos por ele, mais vemos que é sensacional aprender sobre nosso corpo e nossa saúde.

      Bom acho que é isso! Fique a vontade, e espero ter conseguido clarear algumas coisas.
      Fique firme no caminho da sua saúde e seja bem-vinda!

      um abraço,

      Rodrigo

  6. Amei a forma como você escreve, clara e concisa eu adotei a um mês (pouco tempo) essa maneira de ver porque comecei a dieta cetônica, que é rica em proteínas e pobre em carboidratos. Não sinto fome, faço caminhadas de 1h todos os dias e como bem. Em um mês perdi 10kg me reeducando, pois como hoje em dia saladas de várias formas. Tentei uns dias atras me acabar em massas e não consegui, fiquei ” cheíssima, até de mais”. E voltei correndo pras proteínas.
    Vou continuar acompanhando seus posts, me identifiquei bastante com esse.
    Novamente parabéns.

    • Oi Flávia, tudo bem?
      Que bom que gostou! Fico feliz de ouvir isso!
      Legal saber que está numa dieta com restrição de carboidratos e que está comendo mais vegetais.
      Lembre apenas de que você precisa aumentar as boas gorduras e não só comer muita proteína.
      Não sei como está sua dieta, mas proteínas em excesso não fazem bem para a gente. E uma parte da proteína é convertida em glicose, o que faz com que mesmo sem carboidratos haja liberação de insulina. Portanto dessa forma você não estará cuidando da melhor forma do seu metabolismo.
      As gorduras e as proteínas, juntas são fundamentais nessa dieta, e no caso das gorduras, precisamos deixar de ter o pé atrás com muitas delas.
      Tente adicioná-las aos poucos.
      Obrigado pelo comentário,
      um abraço,
      Rodrigo

  7. Tenho pavor de gorduras, mas eu as adiciono sim, acho que o emagrecimento é uma forma de resposta boa do corpo. Porque eu não passo mal, não passo fome e consigo me exercitar sem me matar.
    Estou seguindo aqui, ansiosa por mais posts.
    O que você indica como boas gorduras?
    Até mais, beijo.

    • É isso aí, Flávia! Que bom que está emagrecendo com equilíbrio.
      Considero boas gorduras para utilizarmos em nosso dia-a-dia, Azeite de Oliva (Extra Virgem), Óleo de Coco, Manteiga, Óleo de Palma, Ghee.
      Hoje terá mais um post! :]

  8. Rodrigo, como todos aqui, estou também gostando muito dos seus posts. Vejo que o que escreve é de coração e experiência. Parabéns, as coisas na vida só funcionam se forem assim, não é mesmo? Sou novata no tema Low Carb, embora já tenha tido a orientação médica de reduzir os açucares em função de uma hipoglicemia reativa. Meu corpo me diz que realmente, quanto menos carboidratos, menos fome e menos mal estar. Mas estou meio perdida ainda. Não sei se posso comer os integrais. Penso que minimamente não? Acho que minha clínica geral que tem especialidade em endocrinologia estará aberta sim a esse diálogo. Mesmo assim vou continuar por aqui, na medida do possível, trocando informações. Parabéns, vc é muito jovem e já tem muito a contribuir. A vida não é ensaio, não é mesmo? Bj,
    Marcela

    • Oi Marcela, tudo bem?
      Sem dúvida! Que seria de nós sem as crises dessa vida? Que chance teríamos de mudar para melhor se não fossem os impositivos que muitas vezes nos parecem tão injustos?
      Essas crises de hipoglicemia provavelmente são indícios que seu corpo está começando a não ouvir mais a insulina liberada em sua corrente sanguínea depois de uma alimentação rica em carboidratos.
      O que normalmente acontece é que esses receptores de insulina (que é quem retira o açucar do sangue e o coloca para dentro das células), por causa de um excesso constante de insulina, começam a não reagir como deveriam na presença dessa insulina. E o que se dá é que o açucar começa a não baixar como deveria na sua corrente sanguínea. Como isso não é bom para nós, nosso pancreas secreta muito mais insulina para resolver o problema e essa quantidade as vezes passa do ponto. Faz com que essa quantidade enorme de insulina force a entrada de todo aquele açucar para dentro das celulas e as vezes mais do que deveria, fazendo com que voce tenha uma queda de açúcar no sangue por causa de um pico de insulina.
      Durante alguns anos, tive esse problema e sei que é bem desagradável. Mas o mais importante, Marcela, acho que é interpretar esse sinal que seu corpo lhe dá que algo não vai bem e precisa ser corrigido. A boa notícia é que nosso corpo tem a capacidade de resolver o problema. Basta darmos o que ele precisa e retirarmos as toxinas que o prejudicam.
      Hoje posso dizer que não tenho mais nenhuma crise. Desde que mudei minha alimentação simplismente elas desapareceram por completo.
      Uma amiga que segue essa dieta e tinha crises de hipoglicemia durante a vida toda, 3 meses após as mudanças nos hábitos não teve mais nenhuma crise. E segue cada vez melhor se curando de problemas graves e cronicos ha muitos anos.
      O problema é que alguns (muitos) médicos resumem hipoglicemia a baixo açucar no sangue e recomendam mais ingestão de carboidratos entre as refeições para evitar as crises. Quando o que acontece é justamente do oposto que precisamos. Precisamos reduzir essa quantidade de açucares para pouco a pouco irmos reduzindo a surdez das nossas células à insulina.
      Quanto aos integrais, não posso afirmar se lhe farão mal ou evitarão sua melhora. O que acredito é que quando temos indícios de algum problema metabólico, as vezes precisamos tomar atitudes um pouco mais restritivas que envolveriam principalmente retirar alimentos com índice glicêmico alto, como arroz, batatas, cenouras, etc.
      Eu, com certeza retiraria os açucares, amidos, graos e leguminosas. Pelo menos por um tempo para ajustar o metabolismo, lembrando de consumir quantidades ideias de boas gorduras e proteinas para não perder massa muscular ou ter alguma baixa de energia.
      Espero ter ajudado um pouco. Esteja a vontade para dizer se algo não ficou claro.
      Fique bem e seja muito bem vinda!

  9. Sim Rodrigo, de fato é um sinal de que algo metabólico vai mal. Eu acho que o entendimento por essa via, como diz vocę no artigo, tão simples, é muito interessante bom. De fato a coisa não é: quanto como e quanto gasto, mas o que como (de comer), e como metabolizo. Sim, já ouvi várias vezes de médicos, que deveria andar sempre com uma bala na bolsa. Acontece que depois de uma bala vem outra, e depois outra. É muito estranho e aos poucos vai se tendo a sensação de que é impossível ficar sem o açúcar, como um vício. Não sei se me explico bem. É muito ruim pois além de engordar, há uma indisposição, um cansaço e irritação, no meu caso, ao entardecer. E agora, ao escrever, começo a compreender melhor o porque de querer continuar com os carboidratos à noite… No fim da tarde devo ter uma baixa metabólica. Vejo que no site há outros artigos sobre a alimentação. Vou ler. Por exmplo, devo considerar as frutas carboidratos? Com certeza há uma diferença entre comer melancia e goiaba. Tem muito mais açùcar na melancia… Tenho estado atenta aos rótulos de embalagens, de olho na quantidade de carboidratos. Eu entendo o seu processo de fazer o seu próprio alimento. O alimento é um medicamento mesmo, não tenho dùvida. Esse processo de conscientização é bem pessoal, à medida que queremos nos inteirar da complexidade do assunto, não acha? E envolve muito a questão emocional e o lugar que cada um quer dar ao comer na própria vida. Digo isso porque pensando bem, querer saber do nosso próprio metabolismo nos exige um certo desejo e amadurecimento. É preciso se dizer: quero mudar, quero uma vida boa! Ē muito bom trocar experiências mesmo. Obrigada mais uma vez pelas informações. Elas me animama me cuidar de verdade! Bj

    • Que bom, Marcela! Fico feliz de saber que pensa em cuidar do seu metabolismo.
      Sem dúvida essas mudanças são muito pessoais e envolvem muita força de vontade. Afinal temos que remar contra uma correnteza muito forte, que envolve hábitos socioculturais, conveniência, tempo, etc.
      Quanto as frutas, não deixam de ser carboidratos. Algumas têm muito açúcar, o que pode prejudicar um reajuste metabólico no meu ponto de vista. Outras, como o coco e o abacate, pela maior concentração de gorduras são mais fáceis de serem inseridas no início desse reajuste.
      Quanto ao vício no açúcar e carboidratos em geral, é bastante normal, visto que com o aumento do consumo vamos deixando nossos receptores surdos a esse açúcar, precisando cada vez mais consumi-los para nos mantermos saciados. É algo químico e portanto a mudança de hábito nesse sentido é muito difícil de ser mudado num primeiro momento. Depois que o corpo se reequilibra fica fácil.
      Boa sorte com as mudanças, Marcela! Espero que essas informações lhe sirvam como me serviram para ter mais felicidade e uma vida mais saudável.

      • É difícil sim. Estamos inseridos numa sociedade que consome demais carboidratos em geral e gorduras de má qualidade também. Mas aos poucos, as mudanças vão acontecendo. Ótimo fim de tarde!

  10. Estive relendo os comentårios sobre o colesterol e foi bom pois vi nos meus exames que embora o colestero total esteja alto, o HDL está bom e os triglicerídeos tambem. Para quem quer de fato aumentar a ingestão de proteìnas e gorduras, como eu, è bom atentar para o fato de que são boas gorduras e nào qualquer gordura. E também, é preciso saber quanto de proteìna. Acho que aos poucos o prôprio corpo vai se adaptando. Mas vou pedir ajuda à endôcrino. Espero que realmente tenha a boa vontade de me orientar. Abraços!

    • Com certeza, Marcela. Um bom médico pode lhe ajudar nessa busca pelo ideal, mas nosso corpo também dá sinais do que precisamos. E para isso temos que entender a forma com que ele nos envia essas mensagens.
      Quanto ao colesterol, estou preparando um post sobre o assunto, que é polêmico e complexo, mas com certeza muito diferente do que ouvimos por aí.
      Ter bons niveis de HDL e manter os Triglicerídeos baixos trarão imensos benefícios a seu metabolismo. Outra relação importante é entre o Colesterol Total e o HDL. Dividindo o Colesterol Total pelo HDL, o ideal é obtermos um valor menor do que 4.
      Um Abraço!

      • Obrigada Rodrigo. Aguardo o post. Quanto a ser controverso, vivemos dias de muita desinformação mesmo e muitos interesses da industria alimentícia. Jã viu a nova propaganda da aveia Quacker? É claro que eles tem interesse em vender o produto deles… Mas não deixa de ser uma crítica boa. Afinal, o que é bom e o que ē mal à saúde? Quem dita as regras hoje? Tudo ē uma questão de interesses e de verdades absolutas que não deveriam ser tão absolutas assim. Vou fazer a continha, obrigada!

      • É verdade, Marcela! Esses dias mesmo vi um post dizendo que comer ovos pode ser tão ruim pra saúde quanto fumar cigarros. Mas a mídia adora esses estudos.

  11. Ola Rodrigo, parabéns pelo blog…..
    Voce poderia comentar algo sobre alimentação pro-biotica…. tomo iogurt natural integral todos os dias, algo contra na sua dieta ? pretendo segui-la, pois, estou com o colesterol ldl = 208 hdl = 57 e triglicerides bom, 130..

    desde ja agradeço
    Ronaldo

    • Oi Ronaldo, tudo bem?
      Antes de mais nada, lembre-se sempre de ter um acompanhamento médico para tudo que for fazer. Como disse num dos primeiros posts, sou apenas um entusiasta em nutrição e saúde, e para cada caso são necessárias abordagens diferentes. Ter um profissional competente e de confiança é muito importante para uma orientação direcionada e eficiente. Talvez seja apenas difícil achar algum médico com uma postura amigável a uma dieta baixa em carboidratos. Mas eles existem! :]
      De qualquer forma, uma alimentação natural, com vegetais e alimentos nutritivos de origem animal, boas gorduras, poucos carboidratos, tudo isso preparado corretamente só o levará a um caminho de saúde.
      Estar com o colesterol LDL alto pode não dizer muita coisa sobre risco cardiovascular, ou junto com outros dados pode dizer bastante. Muitas outras variáveis são até mais importantes do que os níveis de colesterol.
      Mas o que esses dados sugerem, visto que o colesterol é uma substância reparadora, é que há algo que precisa ser ajustado em seu organismo. Provavelmente por causa de uma alimentação incorreta, que provoca danos as nossas artérias, seu corpo está produzindo mais colesterol do que o “normal” para cuidar dessas áreas.
      Não sei se consegui me fazer entender. Fique a vontade para dizer.
      Quanto a alimentação probiótica, ter uma dieta que contemple fermentados naturais como iogurte caseiro, vegetais fermentados naturalmente (ex: chucrute, rejuvelac, kvass etc) são não só benéficas mas essenciais para nossa saúde.
      São esses alimentos que ajudam a criar um flora intestinal saudável e extremamente necessária a nossa saúde. São esses bons lactobacilos que ajudam a equilibrar nossa flora e reduzir o número de microrganismos patogênicos.
      Hipócrates já dizia que todas as doenças surgem no intestino e acredito que ele nunca esteve tão próximo da verdade com essa frase.
      Se soubéssemos um pouquinho dos benefícios em se ter uma flora microbiana saudável e dos perigos de uma disbiose causada pelo uso indiscriminado de antibióticos, industrializados, teríamos muito mais cuidados com nossa saúde.
      Lembre-se apenas de que os fermentados industrializados em geral não tem nada de probióticos. Lactobacilos são microrganismos sensíveis ao calor por exemplo, e no transporte desses alimentos, a maioria já está morta.
      Quer garantir uma alimentação probiótica, faça você mesmo seu iogurte. Além de mais gostoso é muito mais saudável.
      Faça também um chucrute e experimente.
      Sua saúde sem dúvida agradecerá!

      Um abraço,

  12. Oi Rodrigo, muito obrigada pelo Blog, é ótimo, muito esclarecedor, esta me ajudando muito.
    estou nesta dieta a 24 dias, emagreci 4 kilos, estou achando que emagreci pouco. Qual sua opnião?
    Será que estou fazendo alguma coisa errada? Faço uso da fita que mede o nivel de Cetônico no organismo, então urino nesta fita e sempre a cor fica Púrpura, isto significa que estou com um ótimo nível de Cetônico no organismo.
    Mesmo assim, não estou perdendo peso, observo que perdi medida, voltei usar 38, estava usando 42, mas estou achando que estou perdendo somente massa magra. Qual sua opnião?
    Normalmente como: frango, carne, peixes, ovos. bacon, lingüiças, creme de leite, requeijão, queijos, palmito, azeitona, manteiga qualy sem sal, brocolis, couve flor, abobrinha, abobora japonesa, repolho, alface, tomate, gelatina. Não estou suando as gorduras saudaveis que menciona a cima como: Azeite de Oliva (Extra Virgem), Óleo de Coco, Manteiga, Óleo de Palma, Ghee.(o que é isto)
    Não estou praticando esporte, seria recomendado?
    estou também tomando Centrun é um multivitáminico e quando me sinto muito cansada, tomo pó de guaraná.

    bom, se puder opnar em cima do que lhe escrevi ficaria muito agradecia.

    mais uma vez, agradeço pelo site, esta me ajudando muito
    obrigada
    ananda

    • Oi Ananda, tudo bem?

      Que bom que gostou do blog e que essas informações estejam lhe ajudando. Fico feliz de saber!
      Eu acredito que perda (ou ganho) de peso sejam consequências de boa saúde e alimentação. Então acho que ajustando sua alimentação e consequentemente seus hormônios e metabolismo, farão você pouco a pouco chegar no seu peso ideal.
      Lembre-se de alguns pontos:
      – Exercícios de 1 a 2 horas por dia reduzem seu metabolismo basal. O que quero dizer é que se faz exercícios demais, seu metabolismo diminui e você diminui a queima de gorduras.
      – Cuidado com seu consumo de proteínas. Muita gente confunde dietas de baixo carboidratos com dietas ricas em proteínas. Você deve aumentar a quantidade de gorduras e manter o consumo moderado de proteínas. Proteínas demais se transformam em glicose, consequentemente o corpo libera insulina e aí você para de queimar gorduras.
      – Se você vem de dietas há algum tempo, pode ser que seu corpo demore a se adaptar.
      – Cuidado com adoçantes (não sei se usa) que apesar de teoricamente nos ajudarem a emagrecer, muitos geram os mesmos sinais ao nosso corpo que o açúcar, sem falar na química que nos faz muito mal.

      Quanto ao que você come, tiraria os bacons e linguiças (são em geral, cheios de nitritos, o que não nos faz bem).
      Além disso cuidado com os requeijões. São industrializados que não nos fazem bem.
      “Manteiga qualy” você quer dizer margarina, certo? Isso não é alimento de verdade e nos faz bastante mal. Use manteiga sem sal.

      Quanto as boas gorduras, são fundamentais nessa dieta. Lembre-se que são as gorduras que nos ajudarão a ter energia e evitar perda de massa magra.
      Manteigas, Azeite de Oliva Extra Virgem, Óleo de Coco, Óleo de Palma e Ghee.
      Ghee é a manteiga clarificada. Usada muito pelos indianos, é excelente.

      Quanto a praticar esportes, acho que algo que seja saudável e leve pode ajudar numa vida mais saudável, mas não acho que exercícios pesados numa época de dieta de perda de peso, sejam bons. Pelo contrário.
      Quanto aos suplementos, eu sempre prefiro chegar nos níveis ideias de vitaminas através de alimentação. Talvez um profissional possa lhe orientar nesse sentido, mas eu prefiro evitar. Principalmente os multivitamínicos. Se for suplementar, procure produtos individuais e de qualidade.

      Acho que é isso, Ananda. Espero ter ajudado!
      Fique a vontade para dizer se tem algo que não ficou claro.
      um abraço,

  13. Oi…seu blog é muito bom e interessante…o que significa “regule as taxas de insulina “? como fazer isso? Ainda não li todo seu blog, mas farei isso no dia a dia. Obrigada.

    • Oi Simone, tudo bem?
      Que bom que gostou!
      Quando disse para regular as taxas de insulina, quis dizer para evitarmos picos de açúcar em nosso organismo e consequentemente picos de insulina. Conseguimos isso evitando açucares e os excessos de carboidratos de uma forma geral.

      Depois que comemos algum alimento que tenha índice glicêmico muito alto, aumentamos as taxas de insulina em nosso organismo. Quando fazemos isso constantemente, o que é comum na dieta da maioria das pessoas, começamos a ter um aumento crônico dos níveis de insulina e com o tempo os receptores dessa insulina, responsáveis por abrir as membranas das células para entrada desse “açúcar”, começam a ficar surdas a esse excesso de insulina e o processo não acontece.

      Com isso começamos a ter excesso de açúcar no sangue, que se não tratado, com o passar do tempo nos leva a diversoso problemas de saúde, entre eles a Diabetes Tipo 2.

      Fora isso, esse desbalanço hormonal (começado pelo excesso de insulina), exige que nosso corpo reequilibre de alguma maneira a situação, causando compensações negativas no nosso organismo.

      Quanto a perda de peso a insulina tem um papel muito importante, que é de armazenar esse açucar em forma de gordura em nosso tecido adiposo. Resumindo quando liberamos insulina no sangue, a queima de gordura pára, e por isso é tão importante controlarmos os níveis de forma saudável.

      Fez sentido?
      abraços,

      • Obrigada, esclareceu muito!!! Agora eu começo a entender pq não consigo emagrecer…pois gosto muito de doce e sinto falta como se fosse uma viciada em açúcar!! Hj me controlo usando o trident, o chiclete sem açúcar. Chego a ser compulsiva, se comer um quero comer 10 um após o outro.Sei que tenho que cuidar disso! Valeu!!!

      • Com certeza qualquer tipo de exagero nos faz mal.
        Quando exageramos com qualquer alimento, mesmo vegetais, isso pode ser muito prejudicial para a gente.
        Acho muito importante aprendermos pouco a pouco a controlar nossas vontades e essa dieta sem dúvida nos ajuda a controlar a compulsão por doces, carboidratos e muitas toxinas do nosso dia-a-dia.
        Mas para isso precisamos estar já há um tempo na dieta.
        abraços

  14. Oi Rodrigo, estarei começando amanhã a seguir a dieta,tenho colesterol alto e uso medicamento,sou tbém pré diabética ,e tomo 1000mg de Glifage XR ao dia.Gotaria de saber qual é a manteiga q vc indica,o ghee e achei muito forte,talvez tenha usado um que estivesse velho,estou lendo muitos cmentários seus e estou meio perdida,fiz meu cadastro no Blog,vou receber mensagens diárias.

    • Oi Dulcinéa, tudo bem?
      Peço que antes de mais nada, leia esse post onde falo da importância de se ter, antes de mais nada, um acompanhamento médico pois cada caso é um caso e as vezes precisamos de cuidados especiais antes de mudar drasticamente nossa dieta.
      Nesse mesmo link explico que não sou médico nem nutricionista, mas sim alguém que pretende compartilhar informações importantes e capazes de melhorar nossa saúde.
      Reduzir os carboidratos, comer alimentos de verdade, retirar industrializados e adicionar boas gorduras e proteínas fazem bem a maioria de nós e sem dúvida essa dieta pode lhe ajudar, principalmente com o diabetes, mas como você já toma alguns remédios é fundamental que seu médico e nutricionista acompanhe de perto e com mais frequência caso comece a dieta, cada mudança em sua alimentação.
      um abraço

  15. Nossa tambem gostei muito do seu blog. Parabens! gostaria tambem de uma ajuda eu nao sou gorda quero perder cinco quilos mas nao consigo de jeito nenhum fiz ha algum tempo dieta restritiva perdi 6 kilos em 20 dias mas me arrependo, pois depois disso nao consigo emagrecer de jeito nenhum. Estou agora tentando comer melhor fiz uma dieta desintoxicante de dois dias consegui perder 1,0 kilo mas esta dificil. Voce acha que consigo sair desse efeito platô? obrigada!!

  16. Ola, meu nome é simone achei super interessante tudo que vc escreve quero muito pir em pratica pois me mato de fazer dietas deixo de comer muitas coisas e nao consigo emagrecer um quilo se quer me ajude entender meu corpo

  17. Fantástico esse Blog … pena q demorei demais para acha-lo ….. mas claro ! nunca é tarde e não desisto nunca …. vou começar minha dieta e cortar legal o carboidrato … mas me esclareça uma dúvida ? alface, verduras e legumes são carboidratos ? ou seja .. vou comer apenas carnes ?

  18. Oi, adorei seu blog, conheci no momento que eu mais preciso, até hoje estava fazendo uma dieta de baixa caloria não passando de 350 calorias por dia, tomando leite desnatado, intercalando com fruta de baixa caloria (maça e pera), no inicio funcionou muito bem perdi vários quilos, mas nas últimas semanas parou, mesmo comendo poucas calorias não estou perdendo peso, nem 100 gramas eu consegui perder, sera que essa dieta prejudicou meu metabolismo?

  19. Se eu iniciar hoje uma dieta sem caboidratos, você acha que o meu metabolismo pode voltar ao normal? estou precisando terminar de perder peso, até voltar meu peso normal acabei de ter bêbe.

  20. Caríssimo, se eu cortar de vez arroz, macarrao, bolos e doces terei algum efeito no emagrecimento? é que gosto muito do café mas nao consigo tomar sem açucar. Se fizer pelo menos isso adiantaria alguma coisa??? obrigada!!!

Participe! Dê sua opinião! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s